ENCONTRO DE CULTURAS DO MUNDO LEVA DANÇA, MUSICA E OFICINAS

16 de janeiro de 2018

Encontro de Culturas do Mundo leva a Imbassaí (BA) etnias indígenas e grupos internacionais de dança e música para oficinas, concertos e fóruns culturais

O Espaço Cultural Tangará Mirim recebe de 18 a 22 de janeiro de 2018 o Encontro de Culturas do Mundo, evento que vai levar a Imbassaí, na Bahia, artistas, professores e grupos de dança e música de países como Suíça, Argentina, Palestina, Congo, Cuba, França, Guiné e Brasil, além de representantes das etnias indígenas Guarani, Fulni-ô e Kayapó, para a realização de oficinas, concertos, vivências e fóruns culturais.

Entre as atrações internacionais, destaque para a dupla de dançarinos Koki y Pajarin Saavedra, intérpretes e coreógrafos do filme “Zonda, folclore argentino” dirigido por Carlos Saura, que vai ministrar a Oficina de Ritmos e Danças do Folclore Argentino, para a professora de dança Alexa Candrian (Suíça), que vai conduzir a Oficina de Danças dos Balcãs, e Mariama Camara, com a Oficina de Danças da Guiné.

Encontro em 2017 (1) - Copia

Representando os artistas nacionais, está a dançarina e coreógrafa baiana Rosangela Silvestre, para ministrar a Oficina de Técnica Silvestre e Simbologia das Danças dos Orixás; o paraense Raimundo Rodrigues Borges, conhecido como Mestre Come Barro, que, acompanhado pelo grupo Raio de Sol, vai tocar, cantar, dançar e ensinar a marujada, folia de São Benedito, carimbó e retumbão; e a Família Menezes, do Maranhão, para apresentar o Baião de Princesas e brincadeiras cantadas. A Bahia também será representada pelo grupo O som do sisal, do Projeto de Santo Antonio de Música, pelas Mulheres do Samba de Roda, sambadeiras do recôncavo baiano, e pelo cantor e compositor Roberto Mendes, que vai apresentar um encontro de chulas, sambas-de-roda e xaréus, que fazem parte da tradição e do saber popular da cultura local. Também tocará no evento a Orquestra Mundana Refugi, formada por músicos de diversos países como Palestina, Congo, Guiné, Cuba e Brasil, que vivem em São Paulo, numa apresentação com ênfase na África e suas semelhanças musicais e históricas com a Bahia, e mundo árabe e suas influências no mundo ibérico e nordestino brasileiro.

O som do sisal_2

O Encontro receberá ainda grupos indígenas, que farão uma mostra de seus costumes e tradições. A etnia Guarani Mbyá, representada pelo Grupo Taguato Arandu, apresentará sons sagrados e fará vivências de temazcal (banho a vapor de purificação do corpo e da alma). Os Fulni-ô, de Pernambuco, farão vivências de canto e dança, além de mostrar seu artesanato, e os indígenas Kayapó farão pinturas corporais e apresentação de músicas e danças. Haverá também uma série de palestras gratuitas, com a participação de nomes como Roberto Gambini, analista junguiano, que vai falar sobre a ‘Alma ancestral do Brasil’, e da antropóloga Betty Midlin.

Para beneficiar os moradores do entorno do Espaço Cultural Tangará Mirim, o Centro de Estudos Universais, associação sem fins lucrativos, promoverá apresentações de música e dança gratuitas na comunidade carente do bairro Barro Branco, e com os jovens da Orquestra do Tangará Mirim, mantida ao longo do ano pelo CEU. Toda a renda obtida com as inscrições do Encontro de Culturas do Mundo será destinada para viabilizar o evento.

Deixe o seu comentário: