Nalu Beach Wear: beleza, conforto e versatilidade com a cara do Nordeste

News Zik 0 comments


Foi durante os preparativos para uma viagem a Fernando de Noronha (PE), que a publicitária alagoana Nathália Almeida e a promotora de justiça sergipana Luciana Duarte decidiram transformar suas dificuldades em uma solução para toda e qualquer mulher empoderada brasileira. Diante da necessidade de customizar a mala com peças confortáveis e versáteis – o que ajudaria, inclusive, a diminuir o peso da bagagem –, as amigas idealizaram a Nalu Beach Wear, empresa de e-commerce que oferece peças de verão ideais para praia, piscina, almoço com os amigos, visita de familiares, entre outros ambientes e situações – o ano inteiro.

A nordestinidade está impressa na marca e nos looks da Nalu Beach Wear. As peças hand made (feitas à mão) apresentam detalhes produzidos por artesãos da região, que utilizam materiais como o bordado filé, registrado pelo Conselho Estadual de Cultura de Alagoas como Patrimônio Imaterial Alagoano, e a renda irlandesa, do município sergipano de Divina Pastora, Patrimônio Imaterial Cultural do Brasil reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“Decidimos ressignificar o feito à mão, trazer o artesanato para dentro de uma coleção, misturar o hand made com tecidos e insumos nobres para produzir peças sofisticadas. Nossa produção é bem artesanal, com peças todas cortadas a mão e replicadas em poucas unidades. As bolsas, por exemplo, são exclusivas, pois um artesão pode fazer até outro produto parecido, mas nunca idêntico. Os forros são costurados a mão e a gente trabalha muito com as rendas irlandesa, renascença, bordado filé, crochê em linha e fio de palha”, detalha Luciana Duarte, 35, que viu na Nalu a oportunidade de empreender em um projeto voltado para mulheres que, assim como ela, adoram o verão.

A Nalu Beach Wear atende às suas clientes exclusivamente pelo perfil do Instagram (@nalu.beach), no qual imagens de mulheres utilizando bolsa de crochê em casamento ou saídas de praia durante passeio em Dubai demonstram a versatilidade das roupas. “Nós temos, por exemplo, uma bata de tecido natural, com acabamento em crochê, que a mulher também pode amarrar na cintura ou colocar no ombro, como canga, ou mesmo usar como echarpe. Isso é próprio da versatilidade da Nalu, sempre com o toque do hand mate. Temos muitos produtos com flores de crochê, prendedor de cabelo que pode ser utilizado como feche de canga ou colocado como adorno no vestido, enfim, há muitas possibilidades e isso não vai só da nossa criativida de, mas também da criatividade de quem usa”, diz Nathália Almeida.

 

Zenita Almeida

Author Zenita Almeida

Eu tenho a idade que permite que eu olhe a vida com calma, mas com vontade de continuar crescendo. Agora é quando o amor pode ser ardente ou um caminho de paz. Agora é quando eu posso gritar meus temores sem medo e fizer o que desejo, mesmo temendo o fracasso. Hoje eu posso amar a mim mesma, aceitar-me e abraçar-me, pois os anos me tornaram uma pessoa muito mais plena, muito mais EU: Zenita.

View Posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *